Share

1
Começamos pelo nome, que nos indica imediatamente as origens do copo. TEKU de fato é uma palavra composta das iniciais dos dois criadores desse copo: Teo Musso e Kuaska, ou seja, dois dos mais importantes percursores da cerveja artesanal italiana. Teo Musso é o fundador da Cervejaria Baladin, Kuaska é o mais importante degustador e esperto de cerveja italiano e um dos mais importantes na Europa. Juntos eles se reuniram para colocar em pratica uma ideia realmente original para a época: O projeto de um copo universal para a degustação de cervejas, caracterizado por formas peculiares com o objetivo de exaltar “on-flavours” e “off-flavours” das cervejas. Lembrem-se bem dessa definição pois é a chave de tudo!

A empresa que se ocupou de produzir o primeiro modelo de TEKU foi a Rastal, que ainda hoje continua produzindo a versão do TEKU re-vista e correta – diferenciado por pequenos detalhes morfológicos, alguns deles para trazer mais resistência para o copo. Se não me engano o ano era 2004, e o nascimento do copo foi acolhido com curiosidade e atenção, também graças a visibilidade que o Kuaska deu a esse copo nos tantos eventos de degustação por ele conduzidos.

Teo Musso Teo Musso, fundador da Cervejaria Baladin.
2
Depois de algum tempo acontecem alguns fatos e o TEKU mudou completamente o seu propósito. Nascido como copo para degustação, ou seja, pensado para uso em concursos cervejeiros e eventos de degustação didática, devagar começou a entrar nos pubs e bares. Se antes era um objeto misterioso e curioso, rapidamente se tornou sempre mais difundido, ao ponto de encontra-lo no pub da esquina. Mas o passo definitivo para a difusão desse copo aconteceu na inauguração de um famoso local na cidade de Roma chamado Bir&fud: quando o proprietário, Manuele Colonna anunciou a abertura, e afirmou que todas as cervejas do local seriam servidas em copo TEKU, usando um contexto de alta qualidade sobre todos os aspectos (culinário, cervejeiro, ecc), o TEKU então começou a ser reconhecido como o copo de cerveja “por excelência”.

Kuaska Lorenzo Dabove “Kuaska”
3
A escolha da Bir&fud foi o divisor de aguas para a historia do TEKU, colocando perspectivas que talvez nem mesmo os seus idealizadores teriam imaginado. A sua forma elegante e original tornou-se o símbolo da cerveja artesanal italiana: não somente aumentou demasiadamente a sua difusão nos pubs e bares, mas sobretudo muitas cervejarias começaram a usar o TEKU como copo oficial das suas marcas.

E rapidamente o seu firmamento teve dois aspectos. O primeiro atravessou as fronteiras nacionais italianas, rendendo o TEKU um sucesso internacional. O melhor exemplo veio do escoceses da Brewdog, que mesmo tendo uma imagem e filosofia punk e agressiva, usaram esse elegante copo para algumas imagens promocionais das suas cervejas. Mas sem dúvida não foram os únicos, principalmente nos EUA.

O segundo aspecto, é ainda mais incrível, porque atravessou não somente as fronteiras territoriais da Italia, mas sim as fronteiras da cerveja artesanal. A cerveja Birra Moretti (de propriedade Heineken) recentemente escolheu o copo TEKU para um “pack” promocional com uma garrafa de Birra Moretti Grand Cru e dois copos TEKU.

Bodebrown Teku Brewdog – Copo Teku
4
Então essa é a história do nascimento e sucesso do TEKU nesses anos. Um sucesso que inicialmente passou por perigosas sombras, principalmente pelo motivo que escrevi no começo desse artigo: A natureza desse copo foi por muitas vezes equivocada, transformando em algo que não é. Em outras palavras, o TEKU pode ser considerado um copo universal para a degustação, mas não um copo universal para a cerveja. E atenção, porque existem dois conceitos bem diferentes: um conceito que diz que cada estilo de cerveja requer o seu copo, capaz de exaltar os pontos de força do estilo melhorando a sua experiência degustativa.

E o segundo conceito tem origens bem subjetivas e é respectivamente relativo a mensagem que caminha juntamente com o TEKU. Como comentado anteriormente, ele tem formas visivas elegantes e refinadas: Servir uma cerveja em um copo assim significa adicionar diversas conotações positivas para um produto de qualidade. A cerveja não vira somente uma bebida para ser degustada em boa companhia, mas sobretudo algo de grande mérito, que merece um recipiente importante. O TEKU é muito interessante para produtos organolepticamente importantes (um Barley Wine por exemplo), mas talvez pretensioso para estilos que não necessitam tanto garbo ou noias mentais como por exemplo uma Pils, Bitter, Blanche, Kölsch, ecc.

Em qualquer modo, é inegável o sucesso impressionante do TEKU, sendo inserido como um das operações comerciais mais importantes do renascimento internacional da cerveja artesanal. Se todo esse sucesso foi imaginado pelos seus criadores?, difícil dizer, mas devo admitir que a sua evolução se adapta muito bem a uma cervejaria como a Baladin. Como em muitos casos análogos, a moral é sempre a mesma: previamente uma coisa não é boa ou ruim, mas é o seu propósito final que ira definir.

Por Douglas Merlo
Italian Beertaster Diplom
Doemens Biersommelier Diplom
Mixologist

Fonte: www.cervaleria.com/blog/2015/08/teku-nao-somente-um-copo/